Wednesday, November 26, 2008

A Imaginação

"A imaginação tem todos os poderes: ela faz a beleza, a justiça, e a felicidade, que são os maiores poderes do mundo" - Blaise Pascal (Pensamentos)


Todos nós, desde bem cedo, aprendemos a colocar em lados diretamente opostos “Realidade” e “Fantasia”. Mas vamos analisar com cuidado. Nossa mente, por associação, liga “Realidade” ao que é concreto, ao que é fato consumado, ao que existe, ao que é “verdadeiro”. E Fantasia, associamos ao que faz parte da imaginação, da ilusão, do sonho, da projeção. E é exatamente aqui que mora o problema: nessas associações, nessas definições.

Algumas perguntas martelam a duros golpes as certezas e verdades humanas: Afinal, ou a princípio, não sei, mas, o que é Realidade? E mais: Há algo que seja real? O que existe?

Em todas as coisas dos homens, em todos os conceitos, verdades, certezas, vejo imaginação. E a rápida e automática associação que a mente faz entre imaginação e fantasia, enquanto oposto de realidade, me faz pensar: Todas as coisas dos homens são Fantasia?

Nosso pequeno mundo é feito de coisas imaginadas que são ditas reais. Invenções da imaginação que acreditamos serem reais, válidas, legítimas, mas que, porém, não passam de invenções da imaginação. Acreditamos cegamente.

De tanto acreditar, conceituar, dividir, classificar, aprender os mesmos conteúdos já prontos há muito tempo, de tão habituados que estamos com tudo o que nos cerca, com tudo o que pensamos ver, ser e saber, já quase não nos questionamos mais sobre nada. Nossa mente, acostumada a percorrer os mesmos caminhos, fica enferrujada, viciada, limitada por limites muito mais estreitos do que os que ela pode alcançar.

Realidade? Que nada... Vivemos no Mundo da Imaginação!

4 comments:

Camila said...

Você sempre surpreendente!
Nem em todo esse tempo de faculdade eu historicizei tantos conceitos, desassociei tantos valores, busquei um princípio pra todas as verdades, uma negação para cada definição, como nos últimos meses. E ainda que consiga enxergar ao menos grande parte da fantasia do mundo e toda a irrealiadade nele; ainda que admita que é uma idéia que cada vez faz mais sentido - ou devo dizer uma que tira todo o sentido - eu não sei porque mas, ainda estou assimilando a falta do eu, sabe? Ainda não desisti dele! hahahaha

"Uma fantasia chamada realidade", uma realidade que é fantasia... uma fantasia que é realidade...
Arranjar um nome pra tudo isso que a gente vive - ou sonha, imagina - é só convenção! :P

Manja said...

Bem, a priori me levo a pensar: qual é a razão prática para separar realidade de fantasia? não são ambas partes da mesma coisa? e se são partes... pq creio que sejam tão ligadas que se confundem em uma só... Não creio que vivamos num mundo de fantasia, nem mesmo no mundo real, mas creio que assim como "não há nada real", "não há nada que seja fantasia" pq até me provem o contrário eu me toco, olho uma tela de pc e nela estão as coisas virtuais, as quais são frutos da fantasia de um monte de númerozinhos (01010101011000110101010011), sendo assim o que me torna mais fantasioso do que esses números binários? E o que me torna mais real? sei lá, mas acho que no fundo no fundo a realidade se confunde com a fantasia, não somos frutos de fantasias geradas, somos frutos. Com fantasias e com realidades, talvez a eliminação dessa dualidade esteja também ligada ao bojo do que camila citou, o "Não Eu", o "seu eu" não é nem mais real, nem mais fantasioso, ele simplesmente é, e neste sentido é muito, muito difícil eu conseguir pensar em algo que não seja simplesmente o "Há", sem adjetivos...

Rafael said...

Diogo, pode apagar esse coment: atualizei o blog :)

ρoësis said...

encontrei esse blog e ja fiquei fã!

Parabens pela iniciativa. Ganhou um leitor assiduo!