Monday, May 18, 2009

"Antes" e "Além"

"O ser é, o não-ser não é" - Parmênides

O que vou compartilhar com vocês agora é uma sabedoria milenar, uma matemática simples, muito simples, mas que temos enorme dificuldade em compreender, mesmo com toda a nossa razão e nossa inteligência supostamente privilegiadas .

O que quero dizer é tão somente o seguinte: "O que existe existe, o que não existe não existe". Isso é claro, mas e daí?

Acompanhem comigo: O Mundo existe e isso se prova, porque aqui estamos. Não importa se sabemos o que é o Mundo ou se sabemnos o que somos nós. O fato é que existe, de alguma maneira, este Mundo no qual estamos.

Se o Mundo é o que existe - e é, porque está provado, pelo fato de que o Mundo está aí.. existindo - o que pode estar "além" do mundo? O que não existe.. Algo "além" do Mundo coincide com algo "além" do que existe. E "além" do que existe, está o que não existe. Conclusão: Não existem Mundos "além".

Se o Mundo é o que existe - e é - então o que pode ter vindo "antes" do Mundo? Esta questão também já não deve mais nos preocupar. Porque "antes" do que existe, só pode estar o que? O que não existe. Conclusão: O Mundo é eterno, não foi "criado" por algo que houvesse "antes" dele, porque o Mundo é o que existe, e "antes" do que existe, só pode estar o que não existe.

Mas e todos os deuses, mundos e seres além sobre os quais temos falado e pensado por toda a história da humanidade? Ora, existem sim, claro. Mas, não "lá" no "além", porque não há lado de fora do que existe. Deuses, mundos e seres "além" existem aqui mesmo, como pura Fantasia da Imaginação humana. Meras projeções num muro intransponível, que enquanto assistimos, pensamos que estão do lado de "lá". Mas, não há lado de "lá".

6 comments:

Samilla Fonseca said...

Concordo que não existem mundos além dos que existem. É uma frase bastante obvia. O que não significa que não existam mundos que não conheçamos.
Também concordo que tudo o mais, como deuses, existem sim, na fantasia humana.
Tem uma frase que eu gosto bem mais: Há muito mais coisas entre o céu e a terra, capaz de compreender nossa vã filosofia.
;D
Beijo.

Silas said...

Se partirmos da premissa de que só existe o que podemos perceber e conceber estaremos caindo num fanatismo intelectual: sempre que algum fato for contra essa realidade preconcebida na cientificidade, o fato será sistematicamente negado e atribuído à algum distúrbio mental.E isso as vezes pode até mesmo fazer uma pessoa atribuir loucura a si mesma, embora se saiba que o verdadeiro louco é aquele que jamais questiona sua sanidade(um cientificista)

É a mania contemporânea de querer que o mundo e as coisas sejam coerentes o tempo todo, sem admitir que na verdade nós vivemos na areia movediça.

Diogo Bogéa said...

Todos são absolutamente loucos, sem exceção, e não é que só existe o que podemos perceber é o seguinte.. o que quer que possamos perceber, conceber, delirar, e ainda o que nem sequer sonhamos que exista, mas existe, forma UM com a existência. Fora da existência, então, não existe nada. Nada "além" da existência.

Dr. Ednaldo Cavalcanti said...

Há duas exigências na elaboração de uma tese, seja ela de mestrado ou doutorado: é a relevância e a importância. Parece-me que essas idagações oferecem uma caráter meramente acadêmico, um exercício intelectual que não obedecem as duas exigências intelectuais, portanto, não nos levam a nada. Se estudarmos a vida das maiori dos filósofos veremos que eram homens que não se preocupavasm com a humanidade e sim com a divagação dos seus pensamentos.

Carlos Pires said...

É muito improvável que o mundo não exista, mas defender que não existe não envolve nenhuma contradição lógica.

isisbernardes said...

"Peraí" um instante. Essa ideia de realidade sensorial já vem por terra desde os séculos XVII e XVIII. Depois de Isaac Newton a ciência continuou progredindo,meu caro colega.
Entendo sua colocação, mas ela não é cientificamente plausível. Não se pode comprovar a teoria do Multiverso, porque há um abismo tecnológico que nos impede de ultrpassar os limites de algumas galáxias vizinhas; entretanto, matematicamente falando, sem a hipótese do Multiverso, muito do que conhecemos, e segundo sua lógica "existe de fato", não se explicaria.
O que "existe de fato", ou seja, os fenômenos óbvios, comprováveis e visíveis são EFEITOS, mas as CAUSAS são coisas que ainda não se conhece plenamente, e o progresso vem nos mostrando isso agressivamente.
Tem-se que se cercar de cautela em
relação às convicções. Elas podem ser mais confortáveis,mas as dúvidas são mais seguras - e mais saudáveis!